Transforme dados em recomendações de produtos

Transforme dados em recomendações de produtos

A quantidade de dados que capturamos dos nossos usuários é cada vez maior. Sabemos quais produtos eles compram, quais e-mails eles abriram, por qual canal de marketing ele chegou ao site, etc. Mas muitas dessas informações acabam nunca sendo utilizadas.

Por que? Ao coletar todos os dados que podemos, recebemos a difícil tarefa de reduzir nossas opções e focar em algumas vertentes que possam ter mais significado para o negócio. Procuramos por tendências antes mesmo de estabelecer quais perguntas queremos responder. E uma das perguntas mais difíceis de responder é como faz1.er recomendações de produtos eficientes.

Dependendo da qualidade dos dados que você está coletando, como garantir que você está tomando as decisões corretas? Seus usuários gostam das recomendações de produtos que você faz? Elas estão sendo eficientes?

Siga as dicas a seguir e aproveite para rever sua estratégia de recomendação:

1. Entreviste seus clientes

Descubra como eles estão navegando pelo seu site e como eles tomam decisões de compra. Faça perguntas como:

  • Que tipo de produto eles estão comprando?
  • Que tipo de imagem de produto chama sua atenção?
  • O que faz com que eles queiram clicar nas recomendações de produtos?
  • Quais sites de e-commerce oferece a melhor recomendação de produtos e por que?
  • Quais sites de e-commerce oferece a pior recomendação de produtos e por que?

O objetivo não é coletar dados ou tendências quantitativas, e sim detectar padrões e áreas de inspiração. As estórias dos seus clientes são totalmente diferentes daquelas que você vê no dia a dia. Utilize essas conversas para inspirar suas próximas análises.

2. Descubra as histórias dos seus clientes

Quando falamos de recomendações de produtos, o contexto é tudo. É importante que se entenda o que os usuários estão fazendo e, mais importante, por que e quando fazer essa abordagem.

Utilize as conversas com os clientes para entender o processo que seus usuários estão seguindo para tomar decisões. Preste atenção também nos principais problemas que eles enfrentam. Com essa ênfase, você poderá pensar na melhor estratégia de recomendação.

3. Leia o que se passa na mente do usuário

A psicologia humana é uma poderosa ferramenta de marketing – especialmente quando se trata de marketing digital. Se o seu trabalho é construir relações online, você se beneficiará de padrões de comportamento de consumo. Alguns estudos dizem que a confiança dos consumidores no marketing é baixa, enquanto outros mostram que as pessoas são influenciadas por recomendações de amigos e familiares.

Essas 3 dicas o ajudarão a encontrar novos ângulos para analisar seus dados e te preparará melhor para tomar – ações neste outro post também demos 3 dicas super importantes. O sucesso na utilização de dados não depende somente de números. Trata-se do contexto e do benchmark que você está usando nas medições. Saiba com o que seus usuários se importam e quais seus objetivos.

Quer saber mais sobre recomendações de produto? Inscreva-se na nossa newsletter e fique de olho nos novos posts que vem por ai! E se você gostou das nossas dicas neste post, compartilhe com os seus amigos e ajude nosso blog a crescer (:

Web Personalization

Graduada em Engenharia Mecânica, encantou-se por tecnologia e a aplicação da matemática voltada para o marketing à primeira vista. Na Rocket Internet, onde atuou como CMO, mostrou por A mais B o potencial dos números aplicado ao marketing, tornando-se rapidamente uma das profissionais mais cotadas no grupo, onde com frequência colocava marmanjos para chorar utilizando apenas uma planilha de Excel. Nas horas vagas, Juliana dedica seu tempo ao empreendedorismo, fotografia e viagens.

Simple Share Buttons
Simple Share Buttons