Novas regulamentações prometem grandes mudanças na segurança de dados

Qual o impacto da LGPD na personalização?

A nova Lei Geral de Proteção de Dados foi criada para garantir que os usuários tenham seus dados pessoais protegidos ao navegar na internet. Desde então, muitos profissionais se perguntam qual o impacto da LGPD nas atividades do dia a dia.

A LGPD teve como principal influência o GDPR (General Data Protect Regulation), a lei que rege a proteção de dados na União Europeia e que serviu de modelo para que muitos países criassem ou revisassem suas próprias leis de proteção de dados.

O principal objetivo das leis de proteção de dados é oferecer ao usuário um maior controle sobre os dados pessoais que são coletados e armazenados pelas empresas e evitar o uso indevido dessas informações.

O que são dados pessoais

Dado pessoal é qualquer informação relacionada ao usuário que possa identificá-lo ou correlacioná-lo a uma pessoa natural, de carne e osso, como por exemplo, endereços, emails e números de telefones. Em alguns casos, determinadas informações podem não ser consideradas pessoais quando analisadas isoladamente, mas sim quando combinadas, como por exemplo o nome da empresa e o cargo que a pessoa ocupa.

É neste cenário que as empresas ー aquelas que fazem a automação e as que contratam o serviço ー devem se organizar e se comprometer a seguir a lei, da obtenção, governança, reprodução até a eliminação dessas informações, trabalhando de forma transparente e responsável.

A nova legislação atua a fim de evitar divulgação indevidas de dados pessoais e vazamentos de informações sigilosas.

Uma das regras impostas pela LGPD consiste em conceder ao usuário o poder de aceitar ou não as políticas de privacidade e os termos de uso ao utilizar um site ou aplicativo. Essa autonomia de escolha dos usuários impacta diretamente nas estratégias de BI, Big Data e, consequentemente, na automação de marketing, um dos pilares do marketing digital. Entretanto, quando pensamos na real finalidade da coleta e do tratamento de dados, outras alternativas podem ser consideradas.

O impacto da LGPD no marketing digital

Para garantir o cumprimento das regras impostas para a manutenção da segurança de dados, a LGPD definiu 10 bases legais que autorizam uso de dados pessoais. Dentre elas, duas afetam diretamente o marketing digital: o consentimento e o legítimo interesse.

Consentimento

O consentimento é uma declaração clara e inequívoca de que o visitante concorda com o uso dos seus dados para as finalidades propostas pela empresa.

No caso mais comum, o consentimento acontece quando um usuário preenche um formulário e declara que aceita receber emails promocionais da empresa.

Legítimo interesse

O legítimo interesse é a base legal mais flexível, porém nem sempre ela pode ser utilizada sem ferir os princípios de legalidade do tratamento de dados. Em algumas situações, é permitido utilizar dados pessoais do seu usuário sem consentimento, mas ainda assim é necessário fazer um teste de proporcionalidade.

Quando um empregador armazena os dados seus funcionários, é fácil entender a razão pelas quais esses dados estão sendo utilizados. Entretanto, no caso do marketing digital, pode ser um pouco mais difícil provar a necessidade real da coleta dos dados pessoais sem uma finalidade específica.

O que é o teste de proporcionalidade?

O teste de proporcionalidade analisa a viabilidade de se utilizar os dados do usuário e o impacto que isso pode ter para ambas as partes. Ele é composto pela legitimidade do interesse e pela necessidade.

Pode-se dizer que uma empresa tem a legitimidade de interesse quando o uso de dados não fere os direitos fundamentais do titular dos dados, nem vai contra outras diretrizes da lei. O princípio da necessidade, por outro lado, prevê que a coleta e utilização de dados pessoais deve se restringir ao mínimo necessário para a realização das finalidades pretendidas pela empresa.

Se uma determinada empresa não possui atendimento telefônico e a única forma de contato se dá via email, por exemplo, a necessidade de se coletar o número de telefone não é real.

Com tudo o que falamos sobre o impacto da LGPD no marketing digital, você pode se perguntar: as regras da LGPD afetam as personalizações? Não necessariamente.

A LGPD e a personalização

Existem muitos casos de estratégias de personalização com alto impacto que utilizam apenas dados anônimos.

Por esse motivo, a Croct só coleta dados anônimos dos visitantes: páginas acessadas, localização geográfica (com precisão máxima de cidade ou bairro), nome do dispositivo, etc. Mesmo combinados, são dados que não possibilitam descobrir quem é a pessoa natural que está navegando.

Adicionalmente, a plataforma da Croct possibilita que seus clientes (empresas que contratam a Croct) coletem dados pessoais para armazená-los no perfil do usuário, caso necessário. Isso acontece, por exemplo, quando coletamos o nome e o email de um usuário que faz o download de um ebook.

É importante reforçar que os dados anônimos são, muitas vezes, mais do que o suficiente para aumentar a conversão com o uso de personalização. Desde o lançamento da Croct, poucos foram os casos de uso em que os dados pessoais fossem necessários, e mesmo sem eles, alguns cases apresentaram aumento de 21% na taxa de conversão.

Conclusão

A LGPD foi criada para dar mais segurança ao usuário no compartilhamento dos seus dados. Quanto antes as empresas entenderem que devem encarar essas bases legais como uma maneira de criar uma relação de confiança com o seu consumidor, melhor. Ser uma empresa transparente em relação ao tratamento dos dados coletados é uma forma positiva de se posicionar e gerar valor ao usuário. 

Para saber como a Croct pode te ajudar com estratégias de personalização em adequação com a LGPD, entre em contato. Ficaremos felizes em te ajudar nesse desafio!

Quer saber como a Croct pode te ajudar com estratégias de personalização em adequação com a LGPD? Entre em contato com a gente, ficaremos felizes em te ajudar nesse desafio (: E não se esqueça de se inscrever na nossa newsletter, fique de olho nos novos posts que vem por ai!

Data, Analytics & Otimização

Publicitária de formação, trabalho com marketing digital e conteúdo há 8 anos. Amo escrever sobre tecnologia, universo das startups e tendências de mercado. Ajudo as empresas a contarem suas melhores histórias.