Porque toda equipe de marketing precisa de um analista de dados

Porque toda equipe de marketing precisa de um analista de dados

Há alguns anos, não muito tempo atrás, a dinâmica de uma equipe de marketing tradicional era mais ou menos assim: se um profissional júnior ou um estagiário tinha alguma dúvida, ele imediatamente procurava o colega mais sênior da equipe, normalmente um profissional com mais experiência e que tinha as melhores respostas para as perguntas que surgiam. As soluções para os problemas encontrados eram baseadas na sua experiência, muito diferente do que já vemos acontecer hoje no marketing digital. Hoje, um analista de dados consegue encontrar as informações que precisa sozinho, por menor que seja o tempo de casa.

Naquela época, o conhecimento das agências de marketing era traduzido em um contexto diferente. No lugar das métricas e das fórmulas com dados estatísticos, o conhecimento acumulado reinava, adquirido com anos de trabalhos e projetos.

O conhecimento vinha de várias campanhas, clientes, estratégias, de dezenas de reuniões e apresentações para clientes, de diversas batalhas com concorrentes ao longo da carreira. Esses tipos de dados podem ser até mensuráveis, mas todos eles exigem tempo e experiência.

Hoje, esse cenário já é um pouco diferente para quem vê de fora, mas tem também bastante semelhança com o que víamos antigamente. Tudo isso graça ao desenvolvimento da mídia digital e da tecnologia associada ao marketing. A experiência e o tempo de estrada já não são mais mandatórios para que um analista de dados se destaque nesse mercado.

O poder dos dados

No cenário atual, aquele que tiver acesso e entendimento profundo dos dados detém o conhecimento e o poder de decisão. Para aqueles que cresceram no marketing tradicional, essa mudança pode ser um pouco conturbada e de difícil aceitação.

Tenho dois amigos que trabalham com marketing digital há anos, da época em que o site de busca Cadê? ainda fazia sucesso. Teoricamente, estando no mercado há tanto tempo eles deveriam ser capazes de escrever o anúncio perfeito, correto? Infelizmente, não é bem assim.

Em um bate papo, um deles me contou que em sua agência as melhores recomendações não vinham de analistas sêniores ou gerentes, mas de uma analista de BI (business inteligence) de aproximadamente 20 anos. Ela nunca usou o Cadê? nem uma conexão dial-up de 28k. Mas se você perguntar quais as melhores palavras para um anúncio para um torcedor de futebol de 40 anos durante o final de semana, após um jogo, ela sabe. Ou qual o melhor horário para vender shampoo para adolescentes. E tudo isso sem sequer fazer login na conta do Adwords ou participar de qualquer treinamento sobre SEM.

Ela sabe tudo isso porque, assim como os outros analistas da agência, ela tem acesso a todos os anúncios criados na história da conta do cliente, assim como os dados de desempenho de cada um deles. Eles não só capturam e armazenam esses dados como criam análises e modelos que ajudam a interpretar e prever o comportamento do cliente, um diferencial extremamente valioso para criar melhores anúncios e colocar em prática estratégias de marketing de sucesso.

Analista de dados: uma arma secreta

Os analistas de BI são a arma secreta de um e-commerce. Eles auxiliam as equipes de marketing no processo de tomada de decisão, garantem maior competitividade em relação à concorrência e ajudam a otimizar o investimento das marcas com campanhas mais eficientes.

Dada a complexidade na captura, visualização e análise e a tonelada de informação das mais variadas plataformas, é essencial que tanto as agências quanto as equipes internas de marketing tenham profissionais capazes de interpretar as histórias escondidas por trás dos números. Mas é importante lembrar que eles, sozinhos, não fazem milagres. As equipes de marketing precisam também contar com alguém que faça a ponte entre os números e as ideias da equipe de criação.

Se manter entre os destaques no mundo do marketing hoje em dia é muito mais um desafio estatístico do que criativo. E essa importância é cada vez maior pelo crescente número de plataformas e pela crescente complexidade dos dados.

Ninguém é capaz de ser um expert em cada ferramenta criada para análise de dados. Para se manter um passo à frente da competição, os profissionais não podem perder tempo aprendendo e tentando utilizar cada ferramenta que é lançada. A situação ideal exige um analista de dados dedicado que possa fornecer essas informações já interpretadas para as equipes de marketing.

No final das contas, mudar o processo de criação de campanhas baseadas em dados comportamentais dos usuários resulta em investimentos mais otimizados, campanhas mais eficientes e estratégias mais rentáveis. Muito além disso, proporciona também grandes avanços na usabilidade e nas interações entre cliente e marca, estimulando a lealdade dos consumidores.

Quer saber mais sobre o trabalho de um analista de dados na equipe de marketing? Inscreva-se na nossa newsletter e fique de olho nos novos posts que vem por ai! E se você gostou das nossas dicas neste post, compartilhe com os seus amigos e ajude nosso blog a crescer (:

Web Analytics

Graduada em Engenharia Mecânica, encantou-se por tecnologia e a aplicação da matemática voltada para o marketing à primeira vista. Na Rocket Internet, onde atuou como CMO, mostrou por A mais B o potencial dos números aplicado ao marketing, tornando-se rapidamente uma das profissionais mais cotadas no grupo, onde com frequência colocava marmanjos para chorar utilizando apenas uma planilha de Excel. Nas horas vagas, Juliana dedica seu tempo ao empreendedorismo, fotografia e viagens.

Simple Share Buttons
Simple Share Buttons