Os mitos e as verdades do mobile para e-commerce

Os mitos e as verdades do mobile para e-commerce

O smartphone dominou a internet. Ele não só já é responsável por metade do tráfego dos e-commerces como também já representa 28% das vendas online brasileiras nos últimos 6 meses. Além disso, aproximadamente 40% das vendas online contam com o auxílio de mais de um dispositivo ao longo do processo de compra.

Nesse post, falaremos um pouco sobre os mitos mais comuns do mobile para e-commerce, discutiremos os prós e contras de diferentes estratégias de design e deixaremos algumas dicas sobre como aproveitar ao máximo as vantagens dos smartphones.

Mito: O mobile é um canal separado

Verdade: os profissionais de marketing não o avaliam como um canal. Eles pensam em “Web” como um todo e utilizam os melhores dispositivos para cada campanha e ocasião. O smartphone é uma peça chave na jornada de compra dos clientes. Utilizar mais de um dispositivo para pesquisar, avaliar e tomar uma decisão já é um comportamento muito comum. Um relatório da Criteo indica que 68% dos compradores online usam mais de um dispositivo em pelo menos metade das vezes que fazem compras online.

Os smartphones também funcionam como uma ponte entre o mundo digital e o mundo físico, conectando os consumidores a conteúdo publicitário, preços, ofertas e outros conteúdos que podem influenciar sua decisão.

Os profissionais que não considerarem o mobile e suas peculiaridades na jornada de compra do cliente podem errar ao encarar o smartphone como um canal específico de marketing.

Mito: o mobile é uma extensão do e-commerce

Verdade: algumas pessoas encaram o mobile e o desktop duas frentes digitais que não podem ser unificadas, enquanto outros consideram o mobile apenas uma versão em menor escala do desktop. Isso faz com que, muitas vezes, os sites sejam pensados e desenhados apenas para servir experiências em desktop, sem oferecer nenhum conforto e boa usabilidade ao contexto dos smartphones.

Em organizações desse tipo, muitas vezes a tecnologia, o design e a manutenção de sites mobile para e-commerce são terceirizadas, criando uma barreira entre a equipe web e a equipe mobile e fazendo com que as duas versões nem sempre caminhem juntas – uma atualização no site para desktop, por exemplo, pode não ser feita no site mobile na mesma velocidade.

Mito: “Tablets são como smartphones” ou “Tablets são como desktops”

Verdade: os tablets são um dispositivo meio termo – eles unem a conveniência de uma tela touchscreen sem a limitação de um display pequenininho. Neles, as versões desktop são renderizadas regularmente, por isso é comum não priorizar tanto as otimizações para esse dispositivo – isso quando elas são priorizadas.

Não admitir que a experiência nos tablets é única e tão importante quanto a de outros dispositivos resulta sempre em estratégias de marketing incompletas.

Mito: Ainda há tempo

Verdade: o fato de a maioria das transações ainda acontecer no desktop não justifica o atraso no investimento em um site desenvolvido e otimizado para mobile e não quer dizer que os clientes estão satisfeitos com o status quo. De certa forma, é alarmante o fato de que 49% das empresas ainda não entendem como o mobile se encaixa na jornada do cliente.

Os smartphones chegaram pra valer e estão cada vez mais importantes para os clientes. A estratégia mobile deve ter grande importância para e-commerces que quiserem sobreviver à nova onda de tecnologia e atender às necessidades dos usuários em todos os contextos.

Quer saber mais sobre o mobile para e-commerce? Inscreva-se na nossa newsletter e fique de olho nos novos posts que vem por ai! E se você gostou das nossas dicas neste post, compartilhe com os seus amigos e ajude nosso blog a crescer (:

Mobile

Graduado em Ciência da Computação, começou a atuar na área de marketing e tecnologia aos 13 anos, quando criou seu primeiro site que, meses depois, bateu a marca dos 50 mais visitados do Brasil. Aos 17, fundou sua primeira empresa, a Bookess, considerada meses depois umas das 10 melhores editoras virtuais do mundo. Na Rocket Internet, trabalhou na expansão de iniciativas tupiniquins e gringas. Hoje, com mais de 10 anos de experiência, já programa de olhos fechados, fala como um publicitário e é apaixonado por empreendedorismo.

Simple Share Buttons
Simple Share Buttons