Os 10 exemplos de personalização em tempo real mais comuns em e-commerce

Os 10 exemplos de personalização em tempo real mais comuns em e-commerce

Este é o 4º post de uma série especial sobre personalização em tempo real. Se você perdeu algum, clique aqui para ver todos os posts da série.

Nos primeiros posts da série, falamos sobre o que é, qual a importância e qual o principal desafio para se aplicar a personalização em websites. Vamos agora aos 10 exemplos de personalização em tempo real mais comuns utilizados pelos sites de e-commerce.

As interações online em tempo real são semelhantes às interações pessoais que ocorrem em uma loja física entre um cliente e um vendedor. No caso de uma venda presencial, tudo gira em torno de entender a necessidade do cliente e descobrir como ajudá-lo: o vendedor faz perguntas, apresenta algumas opções de produto e, à medida que interage com o cliente, passa a entender o seu objetivo.

No e-commerce, essas informações são colhidas através de ferramentas que identificam as ações e o comportamento do usuário. Com esses conhecimentos, você, vendedor, consegue ajustar suas respostas na direção correta, oferecendo exatamente o que o usuário procura, no momento ideal.

Existem muitas maneiras de aplicar os conceitos de personalização e tornar a experiência do seu cliente especial. Vamos apresentar agora os 10 exemplos de personalização em tempo real mais utilizados pelos site de e-commerce que já praticam essa estratégia.

Primeiro Estágio – Capturar a atenção do usuário

1. Dar boas-vindas ao seu usuário de acordo com a localização geográfica

Identificar a localização do usuário que navega no seu site pode ajudar você a prever o que ele deseja e como você deve se comunicar com ele. Sabendo onde ele está, você pode informá-lo sobre algum desconto exclusivo para a região onde ele se encontra (como, por exemplo, descontos no frete), oferecer produtos que estejam relacionados com sua posição geográfica ou simplesmente gerar algum tipo de conexão com ele, fazendo alguma brincadeira ou comentário relacionado às condições meteorológicas que ele está vivenciando, por exemplo.

2. Identificar usuários que estão prestes a abandonar o site

Já existem diversos mecanismos que acompanham os movimentos do cursor e identificam a intenção de abandono. Para evitar que ele vá embora, você pode mostrar alguma oferta especial ou desconto exclusivo para que ele continue na página. Se você acha que não é isso que vai fazê-lo mudar de ideia, esse é o momento de apresentar seus melhores argumentos. Talvez ele esteja apenas inseguro e precise de uma opinião de clientes que já compraram no seu site, ou precise de um tempo para pensar (neste caso, garanta que ele te informe um meio de contato antes de partir). Essa é sua última chance de envolver o usuário e aumentar as chances de ele continuar navegando no site ou retornar futuramente.

3. Criar oferta especial de acordo com o canal de aquisição

Aqueles que trabalham com marketing há algum tempo já sabem que alguns canais trazem perfis de usuários mais propensos a converter do que outros. Sabendo que a qualidade dos seus leads pode variar, você pode identificar a origem do usuário e apresentar algum incentivo extra para estimulá-lo a finalizar a compra. Ou até mesmo usar essa informação para recebê-lo e dar boas-vindas de um modo mais humanizado.

Segundo Estágio – Construir um Relacionamento

4. Identificar usuários conhecidos que retornam ao site

É um fato que todos nós gostamos de ser lembrados pelos outros, isso faz nos sentirmos especiais. Com as tecnologias atuais, é totalmente possível identificar o retorno de um usuário e poder valorizá-lo por isso. Aqui cabem as mais diversas ações, como por exemplo relembrar sua navegação anterior e suas preferências ou dar destaque a produtos que ele demonstrou interesse previamente.

5. Engajar com o usuário e cortar caminho no funil de conversão

Quando você identifica um usuário conhecido, uma boa ideia é resgatar as páginas visitadas na navegação anterior e encaminhá-lo direto para a etapa do funil de conversão em que ele parou. No caso de usuários novos, pode-se acompanhar sua jornada e compará-la ao padrão mais popular de clientes que já compraram no seu site, para “corrigir” o trajeto e aumentar as chances de conversão.

6. Conversar com seu usuário como um vendedor de verdade faria

Em uma loja física, você espera que o vendedor te faça perguntas para entender seus objetivos, certo? Em um e-commerce isso não deve ser diferente. Se você perceber que seu usuário está perdido no site, navegando de modo aleatório, você pode fazer perguntas para entender seu objetivo e facilitar a sua busca pelo produto correto.

7. Personalizar a home page com base nos interesses do usuário

Se seu site oferece produtos ou serviços muito variados, você pode identificar os interesses do usuário (seja pelo cadastro ou pelo comportamento de navegação) e exibir apenas os produtos que façam mais sentido na home page. É uma forma de mostrar que você o entende e se preocupa com o seu tempo.

Terceiro Estágio – Concretizar uma conversão

8. Entender o significado de cada click em call-to-actions

A cada vez que o usuário clica em um CTA, os dados intrínsecos a este click permitem que você entenda mais sobre ele e seus objetivos. A partir daí, você pode modificar o conteúdo do seu site e o torná-lo mais relevante e direcionado. Conversão nem sempre é sinônimo de venda e cada estágio durante a navegação do usuário oferece um forma diferente de conversão, com informações extremamente relevantes.

9. Identifique carrinhos com produtos e instigue o usuário a finalizar a compra

O que mais existe no mercado são ferramentas para recuperar usuários que abandonaram o site e deixaram um carrinho em aberto. Mas… se você pode interagir com o usuário no momento em que ele coloca itens no carrinho, por que deixar para convencê-lo depois? O momento em que ele adiciona itens no carrinho é onde você terá o máximo de demonstração de interesse, portanto aproveite! Ofereça vantagens para quem fechar a compra naquele momento ou crie um senso de urgência, mostrando, por exemplo, que a oferta está prestes a acabar ou o estoque está chegando ao fim.

10. Ofereça produtos complementares aos escolhidos ou produtos similares aos que estiverem fora de estoque

O usuário incluiu produtos no carrinho de compras e essa é uma informação preciosa para você. Oferecer produtos complementares aos já incluídos pode fazê-lo lembrar-se de coisas que também precisará após essa compra (como, por exemplo, um celular e uma capinha, um tênis e um par de meias, um cartão de visitas e um porta cartão…). Essa também é uma ótima oportunidade para oferecer produtos similares caso ele tenha escolhido um produto sem de estoque.

 

Esses são os exemplos de personalização em tempo real mais comuns e utilizados na maioria dos sites, mas existem muitos outros. Quando o assunto é criar novas maneiras de interagir com seu público e proporcionar uma experiência cada vez mais enriquecedora e personalizada, o céu é o limite. No próximo post abordamos mais exemplos específicos para alguns ramos do mercado. Quer saber se o seu é um deles?! Veja o próximo post 🙂

Ir para o próximo post

Quer saber mais exemplos de personalização em tempo real? Inscreva-se na nossa newsletter e fique de olho nos novos posts que vem por ai! E se você gostou das nossas dicas neste post, compartilhe com os seus amigos e ajude nosso blog a crescer (:

Web Personalization

Graduada em Engenharia Mecânica, encantou-se por tecnologia e a aplicação da matemática voltada para o marketing à primeira vista. Na Rocket Internet, onde atuou como CMO, mostrou por A mais B o potencial dos números aplicado ao marketing, tornando-se rapidamente uma das profissionais mais cotadas no grupo, onde com frequência colocava marmanjos para chorar utilizando apenas uma planilha de Excel. Nas horas vagas, Juliana dedica seu tempo ao empreendedorismo, fotografia e viagens.

Simple Share Buttons
Simple Share Buttons