O rastreamento de dados em apps mobile

O rastreamento de dados em apps mobile

Se você trabalha em uma agência, dizer “não” para um cliente que quer investir mais dinheiro em campanhas digitais normalmente não é seu primeiro instinto, mas é muito melhor do que deixar seu cliente gastar dinheiro em algo cujo retorno pode ser desconhecido. E esse é um problema enfrentado muito frequentemente por quem trabalha com campanhas e apps mobile, graças à falta de modelos apropriados para rastreamento e atribuição de receita.

Instalar sistemas de atribuição e tracking no seu site ou app mobile não é assim tão difícil. Mas na fila de prioridades da sua equipe de TI onde essa demanda aparece? Em último? Talvez penúltimo?

Bem, nós te entendemos… Perto de projetos que envolvam construir o próximo grande produto da empresa, isso acaba perdendo importância na priorização. Mas, se você não capturar todos os dados que você puder, você pode nem chegar a saber se esse produto é realmente um grande produto. Capturar os dados corretos e utilizá-los para otimizar tanto campanhas pagas como não pagas definirá completamente a direção que você deve seguir.

A maneira errada de rastrear dados

Os principais erros de rastreamento e atribuição são mais visíveis do que você imagina:

  • IDs de produto diferentes dos SDKs do sistema;
  • Visão limitada de como as ações em telas touch screen se relacionam a ações em desktop;
  • Eventos que não são disparados corretamente;
  • Limitações de plataformas que não funcionam corretamente em todos os modelos de celular.

As consequências desses e de outros erros geralmente incluem desperdício de investimento ou atrasos na entrega de retorno. A performance pode até estar ok, mas em alguns casos fica impossível ter a certeza necessária para se tomar a decisão correta.

Como fazer isso da maneira correta? Não é fácil, claro. Mas também não é nada impossível.

Como otimizar o rastreamento em apps mobile

Tudo se resume a saber seus objetivos e os mecanismos básicos de como monitorá-los. Isso se aplica a todos os dispositivos e canais, mas vamos restringir as dicas para um canal específico: os aplicativos mobile.

O objetivo de instalar um sistema para monitoramento das atividades via app mobile é garantir que você saiba quais fontes de tráfego são mais efetivas na captura de leads ou conversão de vendas. Entretanto, somente a instalação não te mostrará como os usuários engajados agem com os aplicativos que são instalados.

O rastreamento de informações é frequentemente ignorado no processo de desenvolvimento. Os desenvolvedores não são profissionais de marketing, na correria do projeto eles esquecem de organizar, comunicar e implementar tags que estejam associadas às principais métricas dos aplicativos.

Sem ser 100% claro com você mesmo, sua equipe e seus desenvolvedores sobre quais métricas são importantes a ponto de serem rastreadas, você nunca saberá se os seus objetivos estão alinhados com o que seus usuários estão fazendo.

Os eventos que rastreiam as conversões são chamados “tags”, e eles enviam sinais para as plataformas que você pode estar utilizando. Seus desenvolvedores devem ser capazes de implementar esse tipo de funcionalidade para garantir que os eventos estão sendo disparados corretamente. Times mais experientes devem conseguir fazer isso por conta própria, mas times mais novos podem precisar de ajuda. E tudo bem, é para isso que servem os especialistas.

Não importa o quão boa é a sua estratégia ou quão bom é seu produto – sem o devido rastreamento, seu negócio não vai passar de uma experiência amadora. Você nunca saberá se você está atingindo seus objetivos ou, pior ainda, se seus objetivos são hipóteses boas o suficiente para serem testadas.

Quer saber mais sobre como rastrear dados em apps mobile? Inscreva-se na nossa newsletter e fique de olho nos novos posts que vem por ai! E se você gostou das nossas dicas neste post, compartilhe com os seus amigos e ajude nosso blog a crescer (:

Mobile

Graduado em Ciência da Computação, começou a atuar na área de marketing e tecnologia aos 13 anos, quando criou seu primeiro site que, meses depois, bateu a marca dos 50 mais visitados do Brasil. Aos 17, fundou sua primeira empresa, a Bookess, considerada meses depois umas das 10 melhores editoras virtuais do mundo. Na Rocket Internet, trabalhou na expansão de iniciativas tupiniquins e gringas. Hoje, com mais de 10 anos de experiência, já programa de olhos fechados, fala como um publicitário e é apaixonado por empreendedorismo.

Simple Share Buttons
Simple Share Buttons