O mercado de trabalho de Marketing e Tecnologia

O mercado de trabalho de Marketing e Tecnologia

Há alguns anos atrás, era comum você ouvir dizer que a agência X atendia a empresa Y e a empresa Z. Quando o marketing digital começou, pouco se sabia sobre o assunto e o mais inteligente parecia ser a terceirização do serviço com empresas que, teoricamente, entendiam do assunto. Não existia um mercado de trabalho bem definido para profissionais de marketing digital.

Com o tempo, o crescente interesse das empresas por mídias digitais acabou evidenciando um problema grave: as agências de publicidade tem sim um conhecimento muito valioso, mas nem sempre ele é adequado para o marketing digital. E a partir daí os profissionais de marketing passaram a ter mais espaço.

É muito comum ouvir pessoas comentando sobre o aquecimento desse mercado, e, principalmente, sobre a construção de uma parceria com a área de tecnologia. Hoje, nos Estados Unidos, o termo “martech” (marketing & tecnologia) já é bastante utilizado.

Essa alta demanda tem denunciado a falta de profissionais especializados e com conhecimentos avançados em tecnologia, e isso faz os salários aumentarem consideravelmente. Na preocupação de perder um bom funcionário, as empresas passam a oferecer benefícios e outras vantagens para reter seus talentos, tão cobiçados no mercado de trabalho.

O mercado de trabalho de marketing digital em 2017

A falta de mão de obra qualificada em marketing digital está presente em todos os níveis. Dos gerentes de marketing aos profissionais mais técnicos, o quadro é semelhante. A falta de experiência, consequência de uma profissão criada recentemente, também gera dificuldades aos profissionais que ocupam cargos de nível mais avançado.

As universidades ainda estão se adequando às necessidades desse mercado e os profissionais estão carentes de qualificações específicas que ajudem a enfrentar os desafios propostos. Uma coisa é conhecer as ferramentas necessárias para gerir os canais de marketing ー como o Facebook, o Google Adwords e o Google Analytics ー outra bem diferente é dominar esses recursos e utilizá-los da melhor forma para alcançar resultados.

Muitas empresas estão investindo em treinamentos internos para suprir a necessidade de profissionais qualificados. Essa é uma alternativa interessante, pois o marketing realizado por equipes internas tende a apresentar melhor qualidade devido ao alinhamento com a cultura da empresa e pelo conhecimento profundo do negócio.

Um relatório apresentado pelo site MARTECH, em conjunto com a Chiefmartec.com mostrou que existem funções de tecnologia e marketing em todos os níveis nas organizações. Entre os entrevistados, 57% possuem nível de funcionário ou gerente, enquanto 41% eram diretores ou possuíam cargos superiores.

A pesquisa também apresentou dados sobre os salários e indenizações recebidas por esses profissionais e, entre as conclusões, uma grande preocupação ainda é a diferença salarial entre os gêneros, embora não seja novidade. Mulheres continuam recebendo salários inferiores mesmo exercendo funções semelhantes.

O mercado de tecnologia, especialmente, tenta lutar contra esse problema. As disparidades de gênero nas equipes de tecnologia levaram ao desenvolvimento de organizações dedicadas a abordar os problemas dominantes.

Algumas empresas patrocinam mulheres e oferecem treinamentos de apoio à carreira. Escolas de treinamento em tecnologia também oferecem bolsas de estudo e incentivos para atrair mulheres a esses programas.

Pessoas inovadoras, mas empresas nem tanto

De acordo com a pesquisa, cerca de 65% dos profissionais de comunicação e marketing se consideram inovadores. Se considerarmos apenas os profissionais que ocupam o nível estratégico desse segmento, esse índice sobre para 77%. Mas quando esses profissionais avaliam as empresas onde exercem suas atividades, apenas 48% afirmam que trabalham em empresas nas quais o ambiente de trabalho é inovador.

A falta de incentivo empresarial à inovação sentida pelos profissionais mostra que as empresas ainda estão em um estado inicial de transformação digital. Mas essa informação revela uma série de oportunidades para quem se antecipar a esse processo de transição.

Quanto ganha um profissional de marketing?

Uma pesquisa recente realizada pela agência Conversion, com mais de 600 profissionais da área, definiu parâmetros sobre os salários da categoria. Cerca de 30% das pessoas afirmaram receber salários entre R$ 2.869,00 e R$ 5.792,00, 25% declararam ganhar entre R$ 1.448,00 e R$ 2.869,00, e 23% disseram receber salário entre R$ 724,00 e R$ 1.448,00. Apenas 15% recebem entre R$ 5.972,00 e R$ 11.944,00, e  7% disseram receber mais de R$ 12 mil.

Outra pesquisa salarial realizada pela empresa Vagas em Comunicação apontou que a média salarial de um analista de mídias sociais júnior está entre R$ 1,5 mil e R$ 1,8 mil. O cargo analista de mídias sociais pleno, com experiência de 7 meses a 1 ano, ganha o salário médio de R$ 2 mil a R$ 3 mil. E, por fim, o cargo de analista sênior, apresenta média salarial de R$ 3 mil a R$ 4 mil.

Mas o ganho salarial é bastante diferente entre as regiões do Brasil, as remunerações nas regiões Nordeste e no Norte do país normalmente são menores. Além disso, a remuneração do profissional de marketing digital é diretamente influenciada pelo tempo de experiência e da função exercida.

Tendências para o mercado de trabalho de marketing

Pesquisas mostram que menos de 15% das pequenas e médias empresas brasileiras possuem presença digital e, por isso, a expectativa é que esse mercado continue em plena expansão pelos próximos anos. Consequentemente, os profissionais de marketing digital também devem continuar sendo requisitados.

Desenvolver habilidades de marketing digital é essencial para o profissional que deseja conquistar um espaço no mercado de trabalho. Para ingressar nessa área, o profissional deve se manter atualizado com cursos e palestras e buscar sempre a profissionalização. Muito mais do que uma nova oportunidade, o marketing digital representa hoje um constante aprendizado profissional.

E lembre-se: se você tiver um pézinho na área de tecnologia, melhor ainda!

Profissionais de Marketing

Graduado em Ciência da Computação, começou a atuar na área de marketing e tecnologia aos 13 anos, quando criou seu primeiro site que, meses depois, bateu a marca dos 50 mais visitados do Brasil. Aos 17, fundou sua primeira empresa, a Bookess, considerada meses depois umas das 10 melhores editoras virtuais do mundo. Na Rocket Internet, trabalhou na expansão de iniciativas tupiniquins e gringas. Hoje, com mais de 10 anos de experiência, já programa de olhos fechados, fala como um publicitário e é apaixonado por empreendedorismo.

Simple Share Buttons
Simple Share Buttons