5 das 7 benchmarks de conversão da Bessemer podem ser feitas com a Croct

Benchmarks de conversão são sempre bem-vindos. E quando é a Bessemer que fala, então, quem quer melhorar definitivamente escuta. Simples assim. Com investimentos embrionários, que impulsionaram marcas como Linkedin, OLX e Skype, o fundo de venture capital é referência absoluta. Principalmente quando o assunto é transformar tendência em dinheiro.

Dá para entender, então, porque o mercado presta atenção quando a empresa lista as melhores práticas do mercado. Foi o que rolou no último dia 31. A Bessemer produziu um texto elencando benchmarks, para empresas que querem crescer. Um prato cheio.

Mas essas dicas geralmente envolvem investimentos altos, e mudanças estratégicas que levam meses para serem implementadas, certo? Certíssimo. Mas não precisa ser assim.

A Croct foi criada para facilitar o uso das melhores estratégias de CRO. Melhores mesmo: das sete ações sugeridas, cinco você pode fazer com a Croct. 

Duvida? Então veja só:

Testes AB 

A primeira dica da Bessemer é clara: teste, sempre. Testes A/B são uma baita arma na hora de entender o que funciona (e o que não) para cada um dos seus públicos. 

“Pensando em melhorar a conversão, algumas empresas adotaram a filosofia de investir agressivamente em estratégias focadas em testes A/B”, afirmam na publicação Talia Goldberg e Alexandra Sukini, investidoras da Bessemer. 

  • Benchmark da Bessemer

A principal referência da Bessemer é a Booking.com. Faz sentido. A plataforma digital de hotelaria leva suas testagens ao extremo: ela chega a rodar 1.000 testes simultâneos.

Os testes são tão importantes dentro da empresa que se tornaram base para entender os próximos passos. 

Antes de qualquer implementação ser, de fato, colocada em prática, um pequeno teste é feito. Apenas parte do público vê a novidade e, instintivamente, reage. O Booking, então, analisa.

A mudança só recebe o ok se o público reagir como o esperado. Caso os resultados não sejam bons o bastante, a ideia volta pra gaveta, e só sai de lá depois de entenderem o que deu errado. 

  • Como paralelizar testes AB? 

Com a Croct, a implementação de testes AB é extremamente simples. Indo muito além de testes ABs comuns, nossa plataforma permite paralelizar a execução de testes ABs entre diferentes segmentos, de modo que um não impacte no outro. 

A ação pode te trazer muito mais velocidade, além de insights profundos, e alterar drasticamente suas taxas de conversão. Qual banner funcionaria melhor para este segmento? O A ou o B? O preço atrai mais clientes? Ou a qualidade do seu produto? Dá para testar tudo de uma só vez, e entender, em detalhes, as estatísticas que cada estratégia traz. 

O Brazil Journal, por exemplo, usou a Croct para testar textos que atraiam cadastros em sua newsletter. Usou 6 diferentes modelos simultâneos e aumentou a taxa de conversão em 93%! 

Conversão pela comunidade

A Bessemer vê uma tendência em conversões que aparecem como resultado de uma comunidade bem formada. 

O usuário decide fazer aquela compra, ou inscrição, depois de receber incentivos – ou mesmo conteúdos – de pessoas que já utilizam o seu serviço. 

  • Benchmark da Bessemer

O exemplo principal do fundo é a Peloton, uma marca de equipamentos para malhação. A sacada deles foi possibilitar que usuários de seus produtos pudessem malhar juntos por sua plataforma. 

O público adorou. “Os usuários compartilham uma experiência sincronizada, que lhes deixa com ainda mais vontade de engajar”, contam Goldberg e Sukini. 

  • Como usar a comunidade para converter mais? 

A Croct permite que você segmente seu público. Assim, ele terá interações justamente com a parte da comunidade que ele precisa encontrar. 

Você pode fazer, por exemplo, com que depoimentos positivos sobre determinado produto sejam exibidos apenas para seus visitantes que têm o comportamento-alvo para comprá-lo. 

Ou mesmo facilitar, por meio de banners, anúncios que os levem para grupos de usuários daquele serviço específico. 

Os resultados fora do Brasil para esse tipo de experiência têm sido promissores. Aqui na Croct ainda não realizamos uma parceria desse tipo. Quer ser o primeiro? Pode te colocar na frente da concorrência…

Gamification

O fundo vê no gamification uma oportunidade gigantesca de converter. Para os que não estão familiarizados com o termo, ele nada mais é do que transformar a experiência no seu site em uma espécie de jogo. 

Em poucas palavras: quem interage com sua página regularmente, é premiado.

  • Benchmark da Bessemer

Um dos exemplos citados pela empresa é o Duolingo. O objetivo do app é apenas ensinar idiomas, mas ele só faz isso com tanto sucesso por transformar a experiência em um vídeo-game. 

Quanto mais lições você acerta, mais pontos ganha, que permitem você testar seus conhecimentos de outras formas (ou até provar que você já pode pular algumas lições). É prático e engajante. 

  • Como usar gamification na minha empresa?

A tecnologia da Croct te poupa bastante trabalho na hora de pensar em gamificar sua empresa. Nós permitimos a criação de uma base única de dados do seu usuário, o que facilita muito na hora de organizar o sistema do seu game. Sem esse tipo de ajuda, você teria que lidar com multiplas fontes de informação – não só uma.

Não só isso, essa visão 360º dos seus visitantes também traz insights mais claros sobre como eles efetivamente usam sua plataforma. Isso é base para que você possa criar uma estratégia que defina, entre outras coisas, que tipo de ação geraria prêmios. 

A personalização ainda permite que diferentes tipos de usuários, com diferentes níveis de engajamento dentro da sua ação, vejam diferentes tipos de mensagens na mesma página. Os menos engajados, podem receber anúncios sobre as vantagens que o uso contínuo pode trazer. Ao mesmo tempo, os hard users podem ser ainda mais incentivados com os prêmios que estão prestes a conseguir. 

Conversão pela novidade

A Bessemer também ressalta a importância que o inédito tem para seu consumidor. Usando o termo “Gambling Psychology” (Psicologia da Aposta, em uma tradução livre), o fundo fala sobre como nós, por instinto, apostamos que veremos conteúdos bons sempre que damos refresh em uma página de conteúdo. 

É seguindo essa lógica que as redes sociais vêm se fortalecendo nas últimas décadas. Afinal, sempre que damos refresh na página do Instagram, ou do Twitter é por que acreditamos que os conteúdos que aparecerão serão tão bons quanto os antigos (ou até melhores).

  • Benchmark da Bessemer

Além da rede do passarinho azul, a Bessemer também cita com bom exemplo o Tinder. Solteiros passam horas arrastando o dedo para a esquerda e para direita, acreditando que sua outra metade da laranja está por vir no próximo card. 

  • Como implementar essa sensação de novidade na minha marca? 

Com o sistema de dados unificados da Croct, você pode personalizar a experiência do seu usuário para trazer mais ineditismo a experiência dele. 

Dá, por exemplo, para ter registro do que seus visitantes já viram, para que novos conteúdos, ou ofertas, cheguem a eles de forma natural. Cada usuário pode receber informações diferentes, mesmo que estejam na mesma página. 

Esse tipo de ação pode ser útil em várias frentes: de empresas de mídia que querem entregar uma maior variedade de conteúdos – cada vez mais assertivos – para seus leitores, à uma marca de vendas, que quer trazer novas promoções para um possível comprador. 

Conversão por escassez

O documento ainda fala sobre como a sensação de escassez é poderosa. 

O cliente, caso esteja na dúvida se compra ou não, vê que aquele produto está nas últimas peças e, bom, converte antes que fique sem. É o famoso: melhor não arriscar, né?

Em outras situações o produto tem poucas unidades disponíveis logo de cara. Edições limitadas, peças exclusivas. Isso, por si só, já é uma razão para convencer uma compra. Mas o cliente tem que saber que, se bobear, ele ficará de mãos abanando. 

Então reforce esses cenários na sua comunicação. 

  • Benchmark da Bessemer

O exemplo favorito da Bessemer é a StockX, uma plataforma que vende justamente produtos cobiçados, como linhas limitadas de tênis. 

“Nesse caso há escassez física inerente do produto, mas a StockX trabalha para aumentar essa exclusividade”, dizem as autoras. Como? Criando anúncios de disponibilidade especialmente programados, alinhados com campanhas nas redes sociais e lançamentos semanais. Você para de correr atrás do seu cliente; ele passa a correr para ter seu produto.

  • Como implementar a escassez na minha marca?

A Croct permite que você mostre anúncios de produtos apenas para o público que mais se interessaria por ele. Se você falar para um motorista convicto que está com as últimas unidades de bicicleta, ele não só não ligará – como pode se sentir desconectado da sua marca. A mesma mensagem para um ciclista, no entanto, pode te trazer uma venda (e a gratidão dele pelo aviso). 

Além disso, nossa tecnologia deixa você reforçar o fim de estoque justamente para aquele usuário que já vinha demonstrando interesse pelo produto. 

Ou mesmo alinhar o discurso das suas redes, com as landing pages do seu site. Para que o usuário entenda que aquele produto que acabou de ver não vai ficar muito tempo por ali. Então é melhor correr… 

Resumindo… 

O que não faltam são estratégias para melhorar suas taxas de conversão e geração de leads. Escolher as certas, no entanto, é algo essencial. 

A boa notícia é que, com os maiores especialistas nos entregando uma listinha, descobrir quais são as melhores práticas acabou de ficar bem mais fácil. 

O problema nessas horas, claro, poderia ser a implementação desses tópicos no dia a dia da sua empresa. Mas, olha só, nisso a Croct pode te ajudar. 

Nossa equipe tem não só essas, como várias soluções para problemas que afetam a rotina de marqueteiros mundo afora.

Vem bater um papo com a gente, e prometemos que você vai entender o quão fácil é tirar esses planos do papel em questão de dias. Afinal quando a Bessemer fala, quem quer melhorar escuta. E pode apostar: nós estamos prontos pra escutar tanto ela, quanto você.

Estudos, Tendências & Relatórios